top of page
Ativo 2_edited.jpg
Buscar
  • Foto do escritorcont. mag

Empreendendo do zero! - 10 passos para começar a empreender

Deixa eu adivinhar: cê decidiu que quer sair do CLT, que quer se aventurar no empreendedorismo, ter mais autonomia, liberdade e trabalhar com o que você ama, né? Então vamos lá!


10 passos para começar seu negócio do zero:


1. Empreender em que?

Se você ainda não sabe exatamente no que empreender ou qual é o negócio certo para você, é hora de analisar as possibilidades. Construa duas colunas, uma com suas habilidades e uma com seus interesses. Por exemplo:

  • Habilidades: administração de empresas, gestão de pessoas, comunicação, habilidades manuais, design, crochê…

  • Interesses: causas sociais, animais de estimação, decoração, moda, artes, automobilismo, plantas, natureza, culinária…

Agora é a hora de cruzar as duas listas, encontrar alternativas que envolvam suas habilidades e interesses em um mesmo negócio.


Exemplo: Vamos criar um cenário onde você tem habilidades manuais, faz macramê e se interessa pelo universo da moda, por que não unir estes dois tópicos criando uma marca de moda em macramê?


2. Indo mais a fundo:

É hora de nichar, colocar seus planos no máximo de caixinhas que conseguirmos, é isso que diferencia sua marca no mercado.


Seguindo no nosso exemplo: Serão roupas ou acessórios? São itens casuais ou de festa? Se encaixam em um gênero específico? Qual é o estilo? Tem uma pegada mais chique ou mais simples? Mais jovem ou mais madura?

3. Como você vai trabalhar?

Como vamos monetizar este negócio? Vamos vender este produto físico? Vamos ensinar essa técnica? Vendemos cursos, e-books e materiais digitais? Faremos sob encomenda? A pronta entrega? Prestaremos algum serviço relacionado a isso? Construiremos algum conteúdo digital gratuito? Blog, Youtube…?


Exemplo: temos até agora uma marca de moda em macramê, especificamente de bolsas femininas para praia em um estilo boho chic, super colorida e jovem. Na nossa marca imaginária vamos usar o exemplo do produto físico a pronta entrega, mas é importante analisar todas as opções e o recebimento de cada uma delas pelo mercado atual.


(É preciso ter uma visão ampla do cenário para entendermos o que funciona melhor, tanto no mercado quanto naquela nossa lista de habilidades e interesses. Durante a pandemia e-books e cursos on-line relacionados a artes manuais foram uma ótima sacada, visto que as pessoas estavam em casa, procurando novos hobbies ou rendas extra; mas se não temos habilidades relacionadas ao ensino ou à produção de materiais digitais essa estratégia não seria muito fácil de ser colocada em prática. Então se pergunte: Tem espaço para isso no mercado? É viável para mim oferecer este tipo de negócio?)


4. Criando um Mix de Produtos:

De início um mix de produtos muito longo não é uma boa ideia, pode te trazer alguns prejuízos e até mesmo dificultar sua administração inicial. Comece definindo de 1 a 3 itens para este mix, seja ele de produtos físicos, digitais ou serviços.


Por exemplo: Na nossa marca de produtos físicos poderíamos colocar uma bolsa saco grande, uma carteira e um modelo de alça para personalizar a bolsa saco. Se seguíssemos a ideia do produto digital, poderíamos oferecer um e-book “macramê do zero”, uma receita de algum modelo e um kit de materiais para a pessoa fazer essa receita. Três itens que se interligam, quando o cliente gosta de um deles ele sente vontade de comprar o outro.

Com algum tempo de marca você começa a entender a aceitação do seu público e elaborar novos produtos, seja para substituir um produto que não teve um bom desempenho ou para acrescentar ao seu mix, apresentando mais opções para seus clientes e sempre se atualizando.


5. Quanto você vai investir?

Com todos os 4 itens anteriores definidos você consegue ter uma ideia dos materiais que vai precisar e começa a se planejar financeiramente. Vou colocar abaixo alguns itens base, mas cada projeto é único, podendo haver mais ou menos categorias de investimento:

  • Materiais

  • Equipamentos

  • Cursos e Especializações na Área

  • Plataforma Digital (site próprio ou market places)

  • Materiais Gráficos (identidade visual e comunicação)

  • Papelaria e Materiais Impressos (cartões ou brindes)

  • Terceirização (social media, designer, outros profissionais)

  • Mídias Sociais (patrocínio)

  • Loja Física

  • Funcionários

  • Contas Fixas


6. Quanto você vai cobrar?

Para uma precificação coerente nós precisamos entender o posicionamento estratégico da marca, o quanto a empresa pede em investimento, quanto ela consegue faturar, sua pretenção salarial, qual é o custo de cada produto, quanto o seu cliente pagaria, dentre outras análises de mercado e de negócio.


É uma análise única, intransferível, cada negócio tem a sua precificação. Não defina valores aleatoriamente, apenas observando concorrentes. Entenda o caminho até o preço do seu produto, isso te garante uma maior margem de lucro, te prevenindo de prejuízos e vendas pouco estratégicas.


Exemplo: Se eu gasto 15,00 em materiais e vendo minha bolsa por 30,00, eu não estou necessariamente tendo um bom lucro, isso porque ignorei todos os outros itens do nosso planejamento financeiro.

E se for esse o valor que meu público está disposto a pagar? Neste caso ou barateamos a produção ou criamos uma estratégia para mudar o público, mudar o mix de produtos, mudar o posicionamento da marca… algo pede reajuste.


7. Identidade Visual

A identidade visual é o que vai comunicar tudo isso que listamos acima de uma forma meio inconsciente sabe? É o que vai atrair os clientes certos sem que você precise dizer de forma verbal qual é o seu público.


Seguindo o nosso exemplo: vendemos bolsas boho chic, de praia, para mulheres jovens, divertidas, criativas… Quando temos uma identidade visual coerente com tudo isso as pessoas certas se interessam pela nossa marca, se identificam, se conectam, por isso definir uma boa identidade visual é um passo muuuito importante.


8. Materiais Gráficos

Com uma identidade visual bem definida você começa a criar todo e qualquer material gráfico da empresa, produzindo de forma coordenada, estratégica e inteligente, sabe?


Sua papelaria, seus materiais para mídias sociais, sua plataforma digital, tudo seguirá a mesma carinha, fortalecendo a imagem da sua marca, criando uma memória nos seus clientes.


9. Mão na Massa!

Agora sim, com tudo milimetricamente planejado: é hora de colocar em prática, fazer seus produtos a pronta entrega, ou pelo menos os mostruários em casa de sob encomenda; criar seus produtos digitais; e-books; cursos; vídeos…


Caso hajam alterações e imprevistos: não tenha medo de errar ou de mudar de ideia, volte nos itens anteriores e ajuste, conserte e continue.


10. Estratégia de Ação:

Você tem uma marca estruturada, definida, completa.

Você tem os produtos e os materiais de divulgação.

Esse é o momento de definir sua estratégia de ação e começar!

Planejar um bom lançamento, avisar aos seus amigos, divulgar em diferentes plataformas e realmente começar a apresentar o seu negócio para o mundo.


Começar um empreendimento não é algo simples, requer dedicação e muuuuita resiliência, mas também não é um bicho de sete cabeças. Espero ter te ajudado com este material, se tiver alguma dúvida estamos aqui! Beijo!

3 visualizações0 comentário
bottom of page