top of page
Ativo 2_edited.jpg
Buscar
  • Foto do escritorcont. mag

Eu errei pra você não errar - 10 erros que cometi empreendendo




Com quase 10 anos de empreendedorismo eu posso dizer que levei umas rasteiras, e elas me ensinaram muito. Listei 10 erros que cometi nesse trajeto para que você não leve os mesmos tropeços que eu.


1. Não tinha estratégias.

Comecei de qualquer jeito e por um bom tempo eu fiz as coisas de forma intuitiva. Apesar de muito ter dado certo, muito deu errado também. E o problema de acertar quando você age e forma intuitiva é que você não sabe exatamente o porquê de ter dado certo, você não sabe reproduzir isso. Quando você trabalha a partir de estratégias, traça planos, estuda suas ações, você cria uma receitinha e consegue ver mais claramente o que nela funciona e o que precisa ser adaptado. Você realmente aprende com seus erros e acertos.


2. Tinha um visual amador.

Não achava que investir em branding, identidade visual ou comunicação era uma coisa importante, achava que importava mais o que eu vendia e pronto. No final eu acabava passando uma ideia amadora do que eu fazia, perdia credibilidade e trazia aquele comentário típico de “mas além dessa lojinha, você trabalha com o que DE VERDADE?”.

Não tinha nada ali que fazia as pessoas confiarem no meu trabalho, entender o valor do meu produto.


3. Fiz a precificação errada.

Quando abri a Be Hippie eu já tinha estudado sobre markup na faculdade, mas era o único ponto que eu levava em consideração além dos materiais básicos do produto. Eu somava quantas pedrinhas iam em uma pulseira e fazia x2. Não me atentava ao valor de frete do meu fornecedor, às embalagens, ao meu tempo de trabalho.. Depois de um tempo eu percebi que perdi mais dinheiro do que ganhei nessa história, vendia bastante mas vendia num valor nada coerente.


4. Não entendia de mídias sociais.

Estamos falando de quase 10 anos atrás, não havia muita informação a respeito disso também, mas o fato de não agir de forma estratégica nessa etapa me atrapalhou muito. Lembro de fazer um sorteio por mês para ter mais seguidores, sem me importar muito no quanto isso afetava minhas vendas ou no tipo de seguidor que estava vindo dessas campanhas.


5. Quis fazer de tudo.

Sempre fui muito criativa, tinha várias ideias, em vários nichos diferentes e não me importava muito se ia fazer sentido colocar, por exemplo, um produto de cozinha numa marca de roupa. Eu achava que eram boas ideias, aprendia a fazer, fazia e anunciava. Além de ficar mega sobrecarregada eu acabava fazendo um mix de produtos super desconexo.

Eu ainda tenho uma tendência a fazer mil coisas ao mesmo tempo, juntar técnicas e ideias, mas hoje consigo interligar esses pontos para não virar uma bagunça, criando categorias, vendo se realmente faz sentido, apostando em fatores que unificam a marca.


6. Não soube delegar.

Eu queria fazer tudo sozinha, tanto porque era mais barato, quanto por achar que ninguém faria do meu jeitinho.

Perdia muito tempo estudando mil coisas diferentes para poder fazer essas mil tarefas e atuar nessas mil funções.

Aprender é sempre um investimento, mas seria bem mais fácil colocar profissionais qualificados em cada área para me ajudar, sabe?

Por exemplo:

Tentei fazer o registro da minha marca sozinha e acabei tendo que pagar o dobro para corrigir um erro que eu cometi, por não ser a minha área. Imprimia e cortava cada rótulo e embalagem um a um, em uma impressora doméstica porque não achava que uma gráfica conseguiria deixar do jeitinho que eu queria.



7. Não estudei sobre o código do consumidor.

O cliente não tá sempre com a razão, e você só sabe se ele está certo ou não quando você estuda sobre o assunto.

Logo no comecinho da Be Hippie eu tive um pacote extraviado pelos correios, a cliente me pressionou muito, me destratou e gerou um estresse, eu acabei reembolsando integralmente o pedido dela, por não saber como agir, por não saber o que fazer. Meses depois fui entender que ela não estava certa naquela situação, que eu não precisava fazer o reembolso e que haviam outras formas de contornar a situação.


(Hoje, olhando para trás, e sabendo do CDC, eu ainda faria o reembolso porque ela estava disposta a me prejudicar e escolher nossas batalhas é algo importantíssimo também.)


8. Não estabeleci termos e condições de forma clara.

O combinado não sai caro, por vezes eu me peguei em situações complicadas ou desconfortáveis por não ter deixado as coisas claras. Por falta de comunicação. Existem chatices necessárias, como um bom FAQ disponível no site, uma lista de termos e condições ou um contrato bem redigido.


9. Investi tudo num mesmo caminho.

Quando resolvi abrir o espaço físico eu apostei tudo o que eu tinha e o que eu não tinha neste projeto. Ninguém podia prever, mas tinha uma pandemia no caminho e eu perdi muuuuuito daquilo que eu investi. Mesmo com todo o planejamento financeiro, com prazo de retorno para esse investimento.. as coisas mudaram e eu tive que lidar com um belo prejuízo.

Viver essa experiência foi engrandecedor demais, mas talvez eu devesse ter investido menos, ou ter esperado para ter um capital maior e uma margem de segurança.


10. Tive medo de mudar.

Sabia que a Be Hippie não funcionava mais para mim mas fiquei apegada, não queria me desfazer desse projeto. Tinha medo da mudança, tinha medo de recomeçar, medo de não dar certo. E no fim das contas eu nunca estive tão realizada quanto com a Cont.mag. Aprendi a respeitar o timing das coisas.


E os seus erros no empreender? Quais foram?

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page